. .

17 de novembro de 2016

RJ; Favela da Zona Norte muda de facção, PM faz operação e prende sete suspeitos

Uma operação do 16º BPM (Olaria) na tarde desta terça-feira terminou com sete presos, cinco pistolas e um fuzil apreendidos na Cidade Alta, em Cordovil, na Zona Norte do Rio. A ação foi desencadeada após a entrada de traficantes de favelas dominadas por uma facção rival na Cidade Alta durante a madrugada. Pelo menos um dos presos é proveniente do Para-Pedro, em Irajá, também na Zona Norte, ocupado pela quadrilha rival à da Cidade Alta. A ocorrência foi registrada na Central de Garantias, na Cidade da Polícia, no Jacarezinho.
De acordo com a PM, durante a ação, traficantes atiraram contra os agentes. Durante, a entrada dos bandidos de outra facção, não foram ouvidos disparos.
A 38ª DP (Irajá) investiga se uma traição motivou a mudança de facção na favela. De acordo com o delegado Delmir Gouvêa, titular da distrital, traficantes descontentes com a facção que domina a favela podem ter trocado de lado. O bando teria, então, pedido apoio de bandidos de outras favelas, como Parada de Lucas, Vigário Geral e Para-Pedro, todas na Zona Norte.
— Estamos monitorando a situação no local. Já há informações de que a facção que saiu de lá pretende retomar o local, partindo da Maré — afirma o delegado. Num áudio que circula pelas redes sociais, homens afirmam que vão sair do Parque União, na Maré, para retormar a Cidade Alta: “A rapazeada tá bolada”, diz um dos homens.
Segundo a polícia, um fator que facilitou a mudança de facção foi a prisão, em setembro, de Wanderson Jorge Leres, conhecido como Da Mamãe, detido com dois fuzis debaixo de uma cama num apartamento dentro da comunidade. Wanderson era o nome mais alto da hierarquia do tráfico na favela. Após a prisão, a polícia ainda não havia identificado seu sucessor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Art. 220º da Constituição Federal: A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.

§ 2º - É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.