. .

1 de outubro de 2016

Em primeira mão, as fotos e novos vídeos da série sobre Bruna Surfistinha, que estreia em 8 de outubro

bruna2
A saga da prostituta Bruna Surfistinha levantou a bilheteria dos cinemas nacionais em 2011. Foi o filme brasileiro mais visto daquele ano e arrecadou mais de 4,2 milhões de reais. No próximo dia 8 de outubro, às 22h, estreia a série #MeChamaDeBruna, no canal Fox1.
Como o longa, a produção também vai mostrar a transformação de Raquel Pacheco (hoje com 31 anos, ela segue com suas “metamorfoses” e atua como empresária, DJ, médium e filha de santo em um terreiro na Zona Sul). Menina de classe média alta, a moça foi uma das profissionais do sexo mais requisitadas de São Paulo no início dos anos 2000. Ela atendia os clientes em um flat, em Moema, com o codinome de Bruna Surfistinha.
(Acima, a atriz Maria Bopp com Raquel Pacheco)
Para interpretar o papel vivido por Deborah Secco no cinema, foi escalada a novata Maria Bopp, de 24 anos. “Quando me chamaram para fazer o teste, relutei. A sociedade, machista, não faz um bom julgamento dessas garotas, mas conheci mulheres incríveis. A própria Raquel é incrível. Não experimentei o sexo como ela, mas não sou nem um pouco careta”, declarou a jovem à VEJA RIO.
bruna1
A série terá oito episódios, de uma hora cada, e será semanal (transmissão aos sábados, às 22h). Marcia Faria assina a direção. Aliás, ela dirigiu a série Oscar Freire 279, no Multishow, também sobre uma garota de programa de luxo. Os atores Jonathan Haagensen, Carla Ribas e Nash Laila completam o elenco.
O teaser é bem provocante, no embalo da deliciosa Just Like Honey, de The Jesus And Mary Chain (aliás, essa música marca também o filme Encontros e Desencontros, com a linda Scarlett Johansson). Olha só:
 Há também o perfil dos personagens, em videos curtos e instigantes, como este:
 A seguir, um bate-papo exclusivo entre Raquel Pacheco e Maria Bopp:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Art. 220º da Constituição Federal: A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.

§ 2º - É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.