. .

4 de outubro de 2016

Candidata descobre na urna que fez campanha com número errado: 'Vou ser piada da cidade'


A candidata da vereadora Edilamar Quintão (PTN) recebeu apenas três votos nessas eleições de 2016. Isso porque ela, que concorria pela cidade de Guajará-Mirim, em Rondônia, usou o número errado durante sua campanha eleitoral. 
Ela só descobriu que tinha cometido o erro quando foi votar com o número 19.159 e apareceu na urna que o candidato era inexistente. Surpresa, ela descobriu que seu número era, na verdade, 19.789 e que todos os santinhos que tinha distribuído estavam com os números errados. Mesmo com o erro, ela ainda recebeu três votos, sendo que um foi dela mesma. 
O erro de Edilamar ganhou repercussão nacional e ela disse que só iria se pronunciar depois que falasse com um advogado. Antes porém, a candidata chegou a conceder entrevista ao portal, onde contou que estava bastante abalada. “Estou me sentindo muito prejudicada, pois agora não dá mais tempo para nada. Vou ser a piada da cidade e com certeza minha candidatura foi por água abaixo. Essa situação é difícil”, disse. 
Em entrevista ao jornal, o juiz da 1ª zona eleitoral de Rondônia, Paulo José do Nascimento Fabrício, afirmou que o erro foi da candidata ou do partido, mas não da Justiça Eleitoral.
"Ela não conferiu (os santinhos) com a documentação. A Justiça eleitoral recebe o pedido do jeito que o candidato quer, ela não cria nomes ou números. Tenho 30 anos de serviço público e nunca vi isso acontecer. Um candidato não fiscaliza o número é uma falha muito grave. Imagina fiscalizar os números da prefeitura", criticou o magistrado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Art. 220º da Constituição Federal: A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.

§ 2º - É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.